Categorias
Gamedev

Games brasileiros que fizeram sucesso no exterior

A indústria de jogos cresce cada vez mais no Brasil, mas se você acha que esse crescimento diz respeito apenas ao número de jogadores, enganou-se. Vários games brasileiros têm conquistado entusiastas no país e no exterior. 

Esse aumento é tão significativo que a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Eletrônicos (Abragames) desenvolveram o projeto Brazil Games

Desde 2012, o Brazil Games tem como intuito capacitar empresas variadas, de grandes produtoras de jogos até estúdios independentes. Apenas nos últimos anos, esse projeto teve um crescimento de 600% nas exportações desse segmento. 

games brasileiros sendo desenvolvidos por uma equipe
 Vários games brasileiros têm conquistado entusiastas no país e no exterior.  Crédito: Mentorama

Não é à toa que inúmeros games estão conquistando espaço no mercado internacional. Além disso, há jogos brasileiros que foram premiados no exterior, demonstrando a excelência do que está sendo desenvolvido no Brasil. 

Se você ainda não conhece nenhum game brasileiro, confira os cinco jogos que selecionamos. 

LEIA TAMBÉM: Do GameLab da Mentorama para um grande estúdio de jogos

No Heroes Here (2017)

O game No Heroes Here (NHH) foi o primeiro jogo produzido e desenvolvido pelo estúdio Mad Mimic Interactive de São Paulo. Ele foi lançado em 2017, com download via Steam. 

imagem do jogo new heroes here
No Heroes Here foi vencedor do prêmio de melhor game social no Game Connection America 2017. Crédito: Mad Mimic Interactive

O jogo envolve muito trabalho de equipe e cooperação. Em resumo, os jogadores precisam defender e proteger o castelo de inúmeros inimigos.

O game foi um grande sucesso e foi vencedor do prêmio de melhor game social no Game Connection America 2017

Dodgeball Academia (2021)

O game Dodgeball Academia foi desenvolvido pelo estúdio paulistano Pocket Trap em parceria com o Diretor de Arte e Animação Ivan Freire e foi publicado pela Humble Games. 

Imagem do jogo Dodgeball Academia
Dodgeball Academia é um RPG de esportes e ação. Crédito: Pocket Trap

O game é um RPG de esportes e ação, o enredo gira em torno da queimada. Sendo assim, o jogador precisa se juntar à Otto na academia para se tornar campeão de queimada. 

Além disso, é possível treinar as habilidades ao lado de outros jogadores a fim de estabelecer um time forte. 

Until Dead: Think to Survive (2018)

O game Until Dead: Think to Survive foi desenvolvido pelo estúdio Monomyto, do Mato Grosso do Sul. O jogo foi o primeiro jogo brasileiro a vencer o Indie Prize Award em 2017

imagem do jogo Until Dead: Think to Survive
Until Dead: Think to Survive foi o primeiro jogo brasileiro a vencer o Indie Prize Award. Crédito: Monomyto

Em síntese, a narrativa é em torno do apocalipse zumbi, o jogador é um dos últimos sobreviventes e tem que lutar em um jogo de quebra-cabeça baseado em turnos. Portanto, a estratégia é a melhor aliada para vencer. 

Arida: Backland’s Awakening (2019)

O jogo Arida: Backland’s Awakning tem uma narrativa de sobrevivência e aventura no sertão brasileiro e foi desenvolvido em 2019 pelo estúdio de games da Bahia, Aoca Game Lab

imagem do jogo Arida Backland’s Awakening
Arida Backland’s Awakening possui um enredo focado no sertão brasileiro. Crédito: Aoca Game Lab

Se você estava sentindo falta de cenários brasileiros nos games já citados, esse é o jogo para você, pois conta com uma animação 3D focada no Brasil.

Em resumo, você precisa explorar as regiões mais áridas do Brasil, reunir recursos e descobrir pistas sobre o paradeiro da jovem Cícera. 

Ler sobre todos esses jogos dá uma vontade de descobrir mais sobre os bastidores dessa indústria, não é mesmo?

No webinar gratuito ministrado pelo Game Designer da série FIFA, Gilliard Lopes você descobre quais as possibilidades de trabalho em games e como essa área funciona. Confira:

Horizon Chase (2015)

O game Horizon Chase foi desenvolvido pelo estúdio do Rio Grande do Sul Aquiris. A ideia foi inspirada em jogos estilo dos anos 1990, como Top Gear. 

imagem do jogo Horizon Chase
Horizon Chase foi o primeiro game do Brasil a vencer o BIG Festival em 2016. Crédito: Aquiris

Horizon Chase foi ganhando bastante reconhecimento no país e no exterior desde seu lançamento.

Por exemplo, o jogo foi um dos melhores games de 2015 da App Store e o primeiro do Brasil a vencer o BIG Festival em 2016. 

E aí, gostou dessa seleção de games e ficou com vontade de trabalhar na área? 

Então, você precisa conferir o curso de Animação 3D da Mentorama. São quatro meses de muita prática e você aprende com mentores experts da indústria. Clique aqui para saber mais.

Categorias
Gamedev

Cinco passos para se tornar um desenvolvedor de jogos

 

Já imaginou trabalhar tirando suas ideias do papel e desenvolvendo universos incríveis em games? Como desenvolvedor de jogos, isso é possível.

A indústria de games é uma das mais desenvolvidas na atualidade. De acordo com dados da consultoria Newzoo, o mercado de games movimentou mais de 175 bilhões de dólares apenas em 2021. 

Como aponta o desenvolvedor de games e artista 3D, Luciano Soares, a indústria de games é uma das poucas que só cresce, independente de pandemia e recessão de mercado. “A indústria de games cresce um percentual médio de 6% por ano. Isso é muito dinheiro”, destaca. 

Se você quer iniciar sua jornada no mundo dos games, nós podemos te ajudar. Nesse texto, você descobrirá quais são os cinco passos mais importantes para começar uma carreira como desenvolvedor de jogos. 

Leia também: Tendências para o mundo dos games em 2022

Estude muito 

Qualquer profissional bem sucedido estudou muito para chegar onde está. Dessa forma, para conquistar uma carreira de sucesso no mercado dos games a lógica é a mesma.

A indústria de games tem inúmeras profissões diferentes. Contudo, se você já decidiu que quer trabalhar como desenvolvedor de games, agora chegou a hora de focar os seus estudos de forma mais direcionada a essa área. 

imagem de um menino utilizando um computador
A indústria de games é uma das mais desenvolvidas na atualidade 

Em entrevista à Mentorama, o Game Designer da Aquiris, Caio Prates, apontou que é extremamente importante estudar sobre a indústria de games como um todo.

“É muito importante entender todas as áreas de atuação no mundo dos games, pois elas oferecem diferentes oportunidades e também exigem qualificações específicas. (…) Um profissional bem preparado e que conhece a indústria consegue identificar e se destacar com muito mais facilidade.”, aponta Prates.

E como estudar? Os cursos profissionalizantes na área são um grande diferencial no mercado de trabalho. Além de você ter acesso aos conteúdos e ferramentas necessárias, investir em um curso é uma forma de se conectar com outros profissionais e desenvolver seu portfólio.

Se você está em busca de uma opção de curso online para aprender do zero, o programa Profissão Desenvolvedor de Jogos da Mentorama é uma ótima escolha, são dez meses aprendendo através de muita prática. 

Saiba um pouco sobre lógica de programação

Calma, você não precisa ser um expert em programação, mas estudar um pouco sobre lógica de programação é uma forma eficiente de iniciar no mundo dos games, pois você precisará desse conhecimento em diferentes tarefas na sua rotina.

A programadora de jogos da Aquiris, Alice Abreu, explica que esse período de experimentação é muito importante, já que é uma forma de   entender mais sobre a área e descobrir se você realmente gosta de trabalhar com isso. 

Ela indica alguns aplicativos úteis para isso em seu webinar: Grasshopper, Programming Hero e Solo Learn.

Quer aprender mais sobre desenvolvimento de jogos, mas ainda é iniciante? Então, assista todo o webinar gratuito ministrado pela Alice Abreu:

Conecte-se com outros profissionais

Quem tem conexões tem tudo, não é mesmo? Conhecer outras pessoas que trabalham na área e trocar ideias e experiências é uma forma de impulsionar sua carreira. 

Há inúmeras maneiras de fazer isso. Talvez a mais simples seja por meio de redes sociais, como LinkedIn, por exemplo. Encontre profissionais que trabalham no cargo que você gostaria ou na empresa que você admira e mande uma mensagem. 

Contudo, é importante pensar bem sobre o que você escreverá. Você pode comentar sobre algum trabalho que essa pessoa fez e você admira ou enviar uma dúvida pontual que você tenha sobre a profissão.  

Além disso, a comunidade de games é bastante conectada e há muitos eventos e competições que podem te ajudar a mostrar seu trabalho e conhecer novas pessoas. 

Em 2021, por exemplo, a Mentorama lançou uma Game Jam em parceria com Gilliard Lopes, senior Game Designer do Electronic Arts Vancouver na série FIFA.

 O mentoramer Maurício Wolff Garcia foi o vencedor e atualmente ele trabalha em um estúdio de games em Porto Alegre. Se você quer ler sua história completa, basta clicar no link abaixo.

Leia também: Aprender Design de Games do zero é possível? Nosso aluno prova que sim

Tenha um bom portfólio

O portfólio é a oportunidade de você demonstrar suas habilidades como desenvolvedor de games. Sendo assim, engana-se quem pensa que para ter um portfólio é preciso estar trabalhando em um estúdio de games. 

Ou seja, você pode desenvolver jogos experimentais de forma individual ou em uma equipe e disponibilizar em seu portfólio.

De acordo com o Head de Digital na Hogarth Francisco Zanetti em entrevista à Mentorama, um portfólio sólido precisa ter a personalidade do profissional e demonstrar seu pensamento, estilo, experiências e não apenas os projetos.

“Isso faz toda diferença para um recrutador, já que o soft skill é mais importante no momento da contratação. E claro, formatos diferenciados são importantes pois em uma apresentação tudo fala sobre você, não apenas o conteúdo escrito e visual.”, explica Zanetti. 

Aplique para vagas de emprego

Você já fez um curso profissionalizante, já estudou muito, participou de eventos e construiu seu networking e possui um portfólio? Agora chegou a hora de buscar oportunidades de trabalho. 

Em resumo, você pode buscar por vagas pelo LinkedIn ou acessando diretamente os sites de empresas e estúdios de games. Geralmente, no site você encontra uma seção chamada “vagas” ou “jobs”, onde estão disponibilizadas as vagas que estão abertas e seus requisitos. 

Além disso, no site Mapa da Indústria de Jogos você pode encontrar todas as empresas de games que estão atuando no Brasil. Faça sua pesquisa e encontre as empresas que mais te agradam.

Uma outra dica é seguir essas empresas nas redes sociais, pois você também pode ficar sabendo de alguma vaga por lá. 

E aí, gostou das dicas? Chegou a hora de colocá-las em prática! 

Quer impactar sua carreira? Entre em contato e descubra como podemos te auxiliar.

Categorias
Gamedev

Tendências para o mundo dos games em 2022

A indústria de games é uma das mais inovadoras no mercado atual. As tendências mudam com frequência e os profissionais que trabalham – ou desejam trabalhar – na área precisam estar atentos.  

De acordo com a empresa Newzoo, embora 2021 tenha sido o maior ano até o momento para o mundo dos games, o futuro é ainda mais promissor. 

Muitas das tendências que já estavam em alta no último ano, como fusões e aquisições, jogos de blockchain e metaverso provavelmente continuarão em 2022.

Play-to-Earn como modelo de negócios viável

O termo play-to-earn (jogue-para-ganhar, em língua portuguesa) é um modelo de negócios bem recente, que permite que usuários recebam dinheiro ao dedicarem tempo e esforço em games baseados na tecnologia de criptos. 

Parece bem confuso, mas funciona da seguinte forma: ao jogar, o usuário adquire NFTs  (token não fungível) e pode trocá-las por criptomoedas. Isso possibilita que o jogador arrecade dinheiro e, ao mesmo tempo, movimente os games. 

Segundo a Newzoo, o crescimento que o play-to-earn começou a ter somado ao sucesso do Axie Infinity – videogame baseado em NFT desenvolvido pelo estúdio Sky Mavis – significa que muitas empresas e seus investidores estão se esforçando para legitimar o modelo de negócios.

Sendo assim, não será nenhuma surpresa se em pouco tempo o play-to-earn esteja dominando o Brasil e diversos outros países.

Maior diversidade na indústria

Pesquisa da PGB Brasil de 2021, constatou que as mulheres têm mais costume de jogar jogos digitais do que os homens, com 51,5% do total de entrevistados. 

No entanto, ao serem questionados se ambos se consideravam “gamers”, apenas  57,7% das mulheres responderam que sim. Enquanto 65,8% dos homens afirmaram que se consideram gamers.

Esse cenário demonstra que mesmo que as mulheres ocupem espaço no universo dos games, elas ainda não são a maioria atuando nessa indústria profissionalmente. 

Isso também é refletido nas narrativas dos jogos, por muito tempo os protagonistas eram personagens masculinos, mas isso está começando a mudar e pode ser uma tendência para 2022.

Conforme a Exploding Topics, a indústria de games está começando a prestar atenção na representação de diferentes identidades em suas narrativas. Os desenvolvedores estão começando a trazer personagens mulheres para os mundos que criam. 

Crescimento dos remakes e reboots

Um remake de jogo pode ser um sonho ou pesadelo para os fãs de uma franquia. Para quem gosta de remakes e reboots, há uma boa notícia: em 2022 espera-se que sejam lançadas novas versões de jogos.

Como aponta bla bla, desenvolvedores de jogos tem trabalho o dobro para criar novas versões de jogos clássicos que agradem o público. Em 2021, por exemplo, o famoso jogo Prince of Persia recebeu um reboot chamado Sands of Time.

Gostando ou não, a tendência é que em 2022 mais remakes sejam lançados, se vão agradar todo mundo já é outra história…

Metaverso e games

Uma das palavras mais mencionadas nas redes sociais em 2021 provavelmente foi “metaverso”. Mas o que isso significa? O metaverso é uma realidade virtual e aumentada, onde os usuários podem interagir como em uma reprodução do mundo real.

É esperado que sejam investidos milhões de dólares em metaverso nos games

Por exemplo, é possível que uma pessoa tenha o seu avatar digital e consuma itens e produtos digitais. Inúmeras grandes empresas como Facebook e Microsoft têm investido bilhões de dólares para desenvolver o metaverso.

E a indústria de games não escapa dessa novidade. Na verdade, é esperado que sejam investidos milhões de dólares no setor, para o desenvolvimento de games que apresentem experiências de metaverso. 

A ideia do metaverso pode parecer coisa de filme de ficção científica, mas já está acontecendo na realidade. Um bom exemplo disso é a experiência de metaverso oferecida pelo Fortnite da Epic Games, que lançou a Rift Tour em 2021, onde a cantora estadunidense Ariana Grande se apresentou. 

E o diferencial da apresentação? Ela aconteceu no metaverso. Parece loucura, mas se você está duvidando,  pode assistir a apresentação clicando aqui

Já imaginou as experiências que você pode ter no metaverso em um futuro próximo? 

Quer impactar sua carreira? Entre em contato e descubra como podemos te auxiliar.

 

Categorias
Gamedev

Como se tornar artista 3D?

Já faz um tempo que o artista 3D deixou de trabalhar apenas na indústria cinematográfica. Essa profissão que tem crescido significativamente está presente na indústria de games e em áreas diversas como engenharia, arquitetura e publicidade e propaganda.

O artista 3D é o profissional que trabalha com os elementos visuais de um jogo, filme, série, propaganda ou outro produto. Sendo assim, a criação de cenários, personagens, objetos, entre outros elementos é responsabilidade do artista 3D.

Quer descobrir como construir um personagem 3D do zero? Então, não deixe de ler este artigo.

Com o avanço das tecnologias digitais e produtos multimídias, a necessidade de profissionais especializados em desenvolvimento de imagens 3D cresceu muito.

Não é mistério que o público de games, cinema, séries e outros produtos audiovisuais estão cada vez mais exigentes e faz parte do trabalho do artista 3D inovar e surpreender os usuários.

Como iniciar uma carreira como artista 3D?

Como todo início de carreira, os primeiros passos são em direção à qualificação profissional. Mas calma, se você não tem tempo para fazer uma graduação, a opção de cursos profissionalizantes cursos livres são ótimas para aprender de forma rápida e prática.

As oportunidades de trabalho em profissões que envolvem tarefas práticas quase sempre envolvem a apresentação de um portfólio de exposição de suas habilidades. Portanto, não basta apenas estudar a teoria da área, mas colocar em prática o que aprende.

Para construir um portfólio forte não é necessário possuir um emprego na área ou estágio. Se você estiver fazendo um curso, você pode aproveitar as atividades práticas para expor em seu portfólio como projetos e atividades desenvolvidas.

Um homem com barba sentado em frente a um computador desenvolvendo uma imagem 3D
Para futuros artistas 3D, a prática é essencial para desenvolver habilidades
Etapas do trabalho de um artista 3D

De acordo com o artista 3D, Rafael Schmitt, há várias etapas no trabalho do artista 3D e cada uma delas apresenta seus próprios desafios. Algumas delas são:

  • Modelagem – criação de modelos equivalentes à ideia original;
  • Modelagem orgânica – diz respeito a tudo que existe no mundo real, isto é, seres humanos, animais, plantas, etc.
  • Surface – modelagem de objetos construídos por seres humanos, como veículos, estruturas arquitetônicas, robôs, entre outros;
  • Lookdev – desenvolvimento da aparência final do objeto;
  •  Rigging – inserção de movimentos ao personagem;
  • Animação – momento em que a mágica acontece e transforma os elementos em 3D;
  • Efeitos – envolve toda a criação de efeitos visuais como explosões, colisão de carros e simulação de desastres naturais, por exemplo;
  • Iluminação – priorizar a luz para revelar ou esconder detalhes do modelo;
  • Gromming – envolve Trabalho com cabelos dos personagens, é uma parte extremamente complicada do trabalho e, inclusive, há profissionais especialistas para trabalhar apenas com isso;
  • Ambiente – envolve o desenvolvimento do ambiente da narrativa como relevos e vegetações;
  • Renderização – etapa essencial que envolve o desafio de renderizar de forma que o produto saia bonito e rápido.

Contudo, essas são apenas algumas etapas do trabalho do artista 3D e variam conforme o projeto que está sendo desenvolvido, “são vários desafios que envolvem [o processo] e, obviamente, de acordo com a complexidade do projeto eles vão ficando maiores” destaca o especialista Rafael Schmitt.

Quer ampliar seus conhecimentos de forma gratuita? Confira os webinars no canal do Youtube da Mentorama e expanda suas habilidades.

E temos uma indicação para você começar: um webinar sobre universo de CGI e o trabalho com animação 3D, ministrado pelo diretor técnico CGI Wallan Oliveira.

 

Qual o salário de artista 3D?

Conforme o Glassdoor, em uma posição júnior, um artista 3D pode começar ganhando em média R$ 2.435. Esse profissional está em início de carreira. Desse modo, para conquistar melhores oportunidades, certificações de cursos são um diferencial.

Já em um cargo pleno, o profissional pode iniciar recebendo em média R$ 3.376. Para esse nível, são exigidos de dois a quatro anos de experiência, pois os projetos possuem um nível de exigência maior. 

Artistas 3D seniores ganham em média R$ 8.393, mas encontramos salários que passam de  R$ 9.000. Tudo depende da região, empresa e habilidades profissionais.

Além disso, é importante destacar que um artista 3D pode trabalhar como freelancer, isto é, receber por projeto executado. Desse modo, os valores podem ser muito maiores.

Esse formato de trabalho também permite trabalhar remotamente, ou seja, você executa as funções de qualquer lugar do mundo. Inclusive, muitos profissionais trabalham no Brasil para empresas estrangeiras. 

Quer se tornar um modelador 3D? Entre em contato e descubra como podemos te auxiliar.

 

Categorias
Gamedev

5 habilidades necessárias para trabalhar com Design de Games

A indústria de games é uma das que mais cresce no mundo. Em 2021, o mercado de jogos gerou uma receita de aproximadamente 180 bilhões de dólares, segundo dados da NewZoo.

Diante desse grande crescimento, muitos profissionais buscam essa indústria como ponto inicial para suas carreiras e, muitas vezes, como a área escolhida para uma transição de profissão. 

Enquanto isso, a indústria de games oferece inúmeras possibilidades de trabalho. Entre elas, o design de games, uma área do desenvolvimento de jogos e que utiliza recursos de design e criatividade durante a criação de um jogo. 

Não é novidade que para ter sucesso profissional são necessárias habilidades específicas. Para você que deseja se tornar designer de games, nós selecionamos 5 competências necessárias para conquistar oportunidades no mercado de jogos. Confere só. 

1) Habilidades criativas

Pode parecer óbvio, mas é preciso pontuar: o designer de games é um profissional criativo. Em sua rotina de trabalho é comum executar tarefas que envolvem escrita, arte e programação e todas elas precisam de competências criativas. 

“A área de game design é basicamente dedicada às pessoas que querem criar funcionalidades, mecânicas, formas de jogar e criar interações lúdicas”, destaca o produtor de games, Lucas Stannis

Justamente por ser uma profissão que possui várias facetas e mescla responsabilidades distintas, a criatividade se torna essencial para o desenvolvimento de jogos atrativos e divertidos para os jogadores. 

2) Noções sobre interatividade

A premissa básica de um bom designer de games é saber como desenvolver um jogo divertido para que os usuários não fiquem entediados. Para isso, é muito importante ter conhecimento teórico e prático sobre noções de interatividade e como aplicá-las. 

Como explica o game designer, Gilliard Lopes, o designer de games tem que desenvolver um jogo interativo e despertar no jogador a sensação de que aquele é o melhor jogo que ele já experimentou na semana.O Game Designer tem que ser um especialista em gerar conteúdo e features que vão capturar a atenção e vão divertir os jogadores”, aponta.

Descubra mais sobre essa profissão neste webinar gratuito e exclusivo: 

3) Conhecimento básico de protótipo

Na criação de um jogo, é necessário testar com frequência tudo que é desenvolvido. Durante as testagens, é possível perceber o que funciona e descartar ou substituir o que não está bom o suficiente. 

Por essa razão, a técnica de prototipação é extremamente importante. O designer de games não precisa ser um expert nessa técnica, mas o conhecimento básico é essencial para aprimorar os mecanismos do jogo em desenvolvimento.

Como já apontado, o design de games envolve interação em todas as etapas. Para alcançar o resultado de um jogo interativo, muitas prototipagens estão envolvidas. 

4) Técnicas de storytelling

Um bom jogo tem uma boa história, não é mesmo? Designers de game precisam dominar a habilidade de contar uma boa história, através de diversos elementos como: humor, suspense e conflito.

E como isso é feito? Para contar uma boa história em um jogo muitas estratégias podem ser utilizadas: piadas entre os personagens, composições musicais, animações e conflitos na narrativa. 

Quer saber como funciona na prática? Nós temos um bom exemplo. Recentemente, estudantes da Mentorama lançaram um jogo desenvolvido do zero no laboratório prático GameLab, com auxílio de um mentor expert. 

O jogo desenvolvido tem um storytelling bem original e a narrativa é focada em um entregador de pizzas fazendo suas entregas durante um apocalipse zumbi. Divertido, não é mesmo? É exatamente sobre isso que se trata um bom storytelling: manter o jogador interessado. 

Quer saber mais sobre o jogo e o processo de desenvolvimento? Leia o artigo September 28 Pizza: um jogo criado do zero no GameLab da Mentorama

5) Adaptabilidade

Assim como outras indústrias do entretenimento, o mercado de jogos muda com frequência e as tendências acompanham essas mudanças. Nesse cenário, um bom profissional da área precisa se adaptar rapidamente.

Técnicas e tendências de Game Design podem ser aprendidas através de cursos e webinars.

Sendo assim, é muito importante se manter atualizado sobre o que está em alta no momento e o que poderá impactar a indústria no futuro. As técnicas e tendências podem ser aprendidas através de cursos e webinars.

No canal do Youtube da Mentorama, você encontra uma variedade de webinars gratuitos sobre design de games e outras profissões do futuro, ministrados por especialistas do mercado.Essa é uma ótima plataforma para ficar a par das novidades. 

Quer se tornar Designer de Games? Entre em contato e descubra como podemos te auxiliar.

Categorias
Gamedev

Quem Faz Games, Parte 4: Programadores

Video games são obras de arte e entretenimento digitais que são desenvolvidas como programas de computador. Na verdade, os games representam um dos tipos mais complexos e multidisciplinares de projetos de software, demandando profissionais de programação altamente especializados em várias áreas diferentes da ciência da computação. Nesta quarta e última parte da nossa jornada pelos papéis dos desenvolvedores de games, vamos conhecer melhor algumas dessas especialidades fundamentais dos programadores de games.

Programadores de jogabilidade têm um papel fundamental no desenvolvimento de games.

Os programadores e programadoras de jogabilidade (gameplay) são responsáveis por transformar as ideias e mecânicas definidas pelos game designers em sistemas de software funcionais e divertidos. Esse trabalho inclui desde a programação dos comandos do jogo — ou seja, o que acontece quando o jogador aperta cada botão do controle — até as mecânicas que resultam dessas ações — fazer o Mario crescer quando pega um cogumelo, por exemplo.

Cabe também aos programdores de jogabilidade fornecer ferramentas para que os próprios designers possam fazer ajustes finos nas mecânicas do jogo por conta própria — experimentar diferentes valores para a altura e a distância do pulo do personagem, ou ajustar o grau de erro no chute ao gol no FIFA, por exemplo.

Ferramenta interna da Electronic Arts feita pelos programadores para que os designers façam ajustes de jogabilidade no FIFA 22.

Os gráficos lindos e ultrarrealistas geralmente causam a primeira impressão nos jogadores sobre a qualidade do game, e por isso os programadores de computação gráfica (rendering) são uma das especialidades mais valorizadas no mercado. Esses profissionais precisam entender profundamente o funcionamento das luzes, sombras, materiais e como representar as diferentes técnicas de renderização em tempo real nos jogos, como ray-tracing, por exemplo.

Demo de ray-tracing da NVidia mostra alguns efeitos avançados de iluminação que os programadores de computação gráfica desenvolveram.

Jogos multiplayer exigem uma programação robusta do sistema de comunicação entre os consoles ou PCs dos jogadores e os servidores do jogo. Esses profissionais de programação de redes precisam garantir que as informações de ações do jogador (por exemplo, a direção de um tiro) sejam transmitidas o mais rápido possível para o servidor, que determina o resultado no mundo do jogo (se a bala acertou o alvo ou não), e transmite esse feedback de volta para todos os jogadores, mantendo o game em perfeita sincronia.

O principal objetivo do programador de redes é diminuir ao máximo o sentimento de lag do jogo — a demora entre o input do jogador e o resultado transmitido de volta pelo servidor, que pode atrapalhar muito a experiência multiplayer do game.

Jogos como a série Battlefield, da EA, precisam de um sistema robusto de redes para suportar partidas com até 128 jogadores simultâneos.
  • Inteligência Artificial: implementam o comportamento de todos os outros personagens e criaturas que preenchem o mundo do jogo, incluindo inimigos, companheiros de time e todos os outros NPCs (non-playable characters, ou personagens não-controláveis pelo jogador).
  • Simulação Física: desenvolvem sistemas complexos de interação entre objetos do mundo do jogo, colisões, trajetórias de balas, e muito mais, simulando as leis da física real no computador.
  • Interface: programam as telas, os menus e o HUD (heads-up display), que são aqueles indicadores de dano, munição, objetivos e etc. que aparecem sobre a tela do jogo.

E aí, com qual especialidade da programação dos games você mais se identifica? Conte pra gente nos comentários e confira aqui no blog da Mentorama os artigos anteriores da série Quem Faz Games para conhecer melhor o mundo dos artistas, game designers e muito mais! Um abraço, boas festas e feliz 2022!

Categorias
Gamedev

Como começar uma carreira em Modelagem 3D

Quem nunca ficou impressionado com uma imagem 3D, certo? A modelagem 3D é um trabalho artístico que envolve muita criatividade e os resultados podem ser surpreendentes. 

O modelador 3D  ou artista 3D é o responsável pela criação de modelos tridimensionais, animações e efeitos visuais que podem ser usados em diversas mídias como games, séries de televisão e filmes. 

O que é modelagem 3D?

A modelagem 3D é a construção de modelos 3D de produtos, ambientes, personagens e muito mais. Nesse processo, são utilizadas técnicas para desenvolver imagens hiper-realistas.

O trabalho com 3D se tornou imprescindível em um mundo movido pelo digital. Essa é uma habilidade muito versátil e que pode ser aplicada em diversas mídias e projetos diferentes. 

O trabalho com 3D se tornou imprescindível em um mundo movido pelo digital. Arte: Mentorama

Você já deve ter visto uma publicidade, um vídeo no Youtube, um filme, uma série de televisão ou, até mesmo, um clipe musical em 3D. Isso demonstra as potencialidades da modelagem 3D.

O artista 3D dá vida às suas ideias através de seu computador, de sua criatividade e dos softwares de modelagem. Alguns deles são: Autodesk Maya, Adobe Photoshop e Blender. 

Competências e habilidades de um modelador 3D

Como qualquer outro trabalho que envolve processos criativos, a modelagem 3D necessita de muita criatividade e um olhar atento. O modelador 3D precisa de uma percepção aguçada para toda a composição do projeto em que está trabalhando. 

Você quer saber quais são as principais características que um profissional dessa área precisa ter? Então, segue o fio.

Planejamento

Começar um projeto em 3D requer planejamento. Como aponta o artista e ilustrador, Jean Campos, tudo começa com a etapa de concept art, isto é, com a arte conceitual. 

Essa etapa é muito importante, porque antes de iniciar um trabalho é preciso saber o que é preciso ser feito, não é mesmo? Isso envolve ter um plano bem elaborado sobre qual é a história, quem são os personagens e como será desenvolvido. 

A pré-produção antes da modelagem 3D faz toda a diferença. Além disso, Jean destaca que é preciso ter um olhar atento para o projeto como um todo. Os detalhes são sim importantes, mas para funcionar há algo muito maior envolvido. 

Comunicação

A modelagem 3D é um trabalho executado em equipes. Isso significa que são diversos profissionais de áreas diferentes trabalhando juntos para garantir um resultado positivo para o projeto. 

Sendo assim, é extremamente importante saber se comunicar com os colegas, 3D é um processo criativo que envolve muito trabalho, feedback, teste e mudança. 

Por exemplo, aquele feedback de um colega de trabalho pode transformar o resultado do seu projeto de uma maneira positiva. Então, vale a pena estar aberto às observações.

Gerenciamento de tempo

Cada um dos projetos possui detalhes e prazos bem específicos.  Na rotina diária de trabalho de um modelador 3D é comum executar vários trabalhos simultaneamente. Dessa forma, gerenciar o tempo é essencial para atender todos os prazos. 

Conhecimento técnico

Parece óbvio, né? Contudo, é importante pontuar isso: o modelador 3D precisa conhecer as técnicas necessárias para executar os projetos. Desse modo, é necessário compreender o pipeline, entender sobre texturas e materiais, configurar cenas e renderizá-las.

Você quer saber mais sobre modelagem 3D ? Então, assiste esse webinar ministrado pelo Senior 3D Artist no DOT Digital Group, Lucas Silva. 

Qual o salário de um modelador 3D?

Conforme o Glassdoor, em uma posição júnior, um modelador 3D pode começar ganhando em média R$ 2.228. Esse profissional está em início de carreira. Desse modo, para conquistar oportunidades mais atrativas as certificações de cursos são um grande diferencial.

Já em um cargo pleno, o profissional pode iniciar recebendo em média R$ 3.302. Para esse nível, são exigidos de dois a quatro anos de experiência, pois os projetos possuem um nível de exigência maior. 

Modeladores 3D seniores ganham em média R$ 9.968, mas encontramos salários que passam de  R$ 11.000, dependendo da região e empresa.

No entanto, os valores acima são referenciais e variam muito. A modelagem 3D é uma área que oferece oportunidades para trabalhar como freelancer, isto é, o profissional recebe por projeto executado. Sendo assim, os valores podem ser muito maiores.

Além disso, o artista 3D pode trabalhar de qualquer lugar do mundo para qualquer empresa. Afinal, esse trabalho exige apenas um computador, softwares e sua criatividade. Já imaginou trabalhar no Brasil, mas receber em moeda estrangeira?

Quer se tornar um modelador 3D? Entre em contato e descubra como podemos te auxiliar.

Categorias
Gamedev

Quem Faz Games, Parte 3: Level Designers e Narrativa

Além das mecânicas e sistemas de jogo, um game necessita de uma grande quantidade e alta qualidade de conteúdo para oferecer ao jogador experiências variadas, desafios crescentes e oportunidades para utilizar suas habilidades em diferentes cenários de jogo.

Nessa terceira parte da nossa viagem pelos perfis dos desenvolvedores de games, vamos conhecer melhor algumas especialidades do Game Design que definem e produzem esse conteúdo, populando os mundos dos jogos e proporcionando longas horas de desafio e diversão nos games.

No jogo The Witness, do Game Designer Jonathan Blow, mecânicas simples ganham longevidade através do conteúdo vasto, esteticamente impressionante e variado.

A estrutura e o conteúdo de cada uma das fases do jogo são elementos fundamentais para proporcionar diversão ao jogador, e esse é o papel dos Level Designers.

Eles são responsáveis pelo layout das fases do jogo, posicionamento dos desafios e inimigos, e com isso definem o ritmo de exploração do game.

Exemplo de layout de fases em um jogo de plataforma da série Mario.

O trabalho do Level Designer pode ser bastante intrincado e detalhado. Jogos como a série Dark Souls, por exemplo, procuram conectar todas as áreas do jogo umas às outras, proporcionando uma experiência de exploração sem cortes ou transições de fases.

Além disso, esses jogos utilizam o próprio layout das fases como uma ferramenta poderosa de desafio e recompensa: após explorar uma fase longa e cheia de perigos, o jogador destrava um atalho para o início da área, que serve como recompensa por ter passado pelo caminho mais difícil e torna a sua navegação pelo jogo mais rápida e segura nas próximas vezes.

Todas as áreas do game Dark Souls, da From Software, estão interligadas em um arranjo de Level Design complexo e fascinante.

Histórias nos games se diferenciam fundamentalmente dos roteiros de outras mídias por uma característica crucial: o papel do jogador como protagonista e agente na narrativa.

Por isso, os profissionais que escrevem para games precisam estudar e incorporar técnicas de narrativa que considerem a natureza não-linear e dinâmica dos jogos. Esses profissionais são os Designers de Narrativa.

Múltiplos caminhos na narrativa de Detroit: Become Human, da Quantic Dream.

Os Designers de Narrativa mais experientes são capazes de desenvolver suas histórias de forma modular, ou seja, em pedaços que podem ser rearranjados de acordo com decisões tomadas pelo jogador.

O sentimento de que o game recorda e reconhece decisões de jogabilidade e de diálogo do player é um dos elementos mais importantes para manter o engajamento na história, e o Designer de Narrativa tem um papel fundamental em garantir que esse feedback esteja sempre presente no seu texto.

O Designer de Narrativa brasileiro Arthur Protasio e alguns dos games em que trabalhou recentemente.

Game Design é uma área essencial no desenvolvimento de games, e dentro dela ainda temos muitas outras especialidades não citadas nos últimos dois artigos, como:

  • Designers de economia: definem, testam e balanceiam os sistemas de jogo que envolvem moedas reais ou virtuais, bem como o valor dos itens que o jogador pode adquirir durante sua jornada.
  • Designers de interface e UX: desenham telas e experiências de interação do jogador com o game, utilizando técnicas de layout, cores e efeitos para garantir uma navegação intuitiva no game.
  • Designers de Áudio: produzem os efeitos sonoros, coordenam a gravação de vozes e definem todo tipo de feedback de áudio que o jogo precisa para ambientar e informar o jogador sobre o que acontece à sua volta.

E aí, qual a sua especialidade favorita do Game Design? Conte pra gente nos comentários e fique ligado em breve na próxima parte da série Quem Faz Games?, na qual conheceremos melhor as especialidades dos Programadores. Até lá!

Categorias
Design Gamedev

Como se tornar um Designer de Games?

 

Você quer trabalhar como designer de games, mas não sabe por onde começar? Muita calma, porque nós podemos te ajudar!

Se você gosta de games, tem criatividade, fica fascinado pelas dinâmicas dos jogos e adoraria estar envolvido na criação de um: você já está no caminho certo. 

A indústria de games é uma das mais promissoras do mundo. Os valores movimentados por esse mercado são gigantescos e as oportunidades de trabalho também. 

No Brasil, não é diferente. Estudo da Comscore constatou que 70% da população digital brasileira – cerca de 84 milhões de usuários – joga algum tipo de jogo.

Além disso, o Brasil é o único país da América Latina que está no top 5 mundial entre os países com maior número de usuários na categoria de jogos online. 

Por se tratar de um mercado em constante expansão, a procura por profissionais capacitados para desenvolver novos jogos é uma realidade no mundo todo. 

O que é Design de Games?

O design de games é uma área que está incluída no desenvolvimento de jogos. O designer de game utiliza os recursos do design e sua criatividade para desenvolver um jogo interativo e atraente.

Para simplificar, nós podemos dizer que o game design é uma peça fundamental no planejamento de todo o processo de criação de um jogo. 

Em resumo, isso significa que nenhum game é elaborado sem um plano e o responsável por traçar esse plano é o designer de games.

Desse modo, o designer de games atua na criação de histórias, personagens, desafios, regras e objetivos, sempre visando a interatividade para o usuário. 

O que faz um designer de games?

O designer de games é o profissional criativo que dá vida a um jogo. Sendo assim, essa é uma profissão que mistura várias habilidades como escrita, arte e programação.

O Game Designer, Gilliard Lopes, explica que o designer de games precisa ser especialista em três coisas muito importantes: interação, indução e competição. Além disso, esse profissional precisa dominar produção de conteúdo e features que capturem a atenção e divirtam os usuários. 

O designer de games é o profissional criativo que dá vida a um jogo. Imagem: Mentorama
O designer de games dá vida a um jogo. Imagem: Mentorama

“O Game Designer precisa montar um experiência de jogo ‘engajante’ e estar sempre lembrando ao jogador de que aquele jogo é o melhor que ele vai jogar essa semana”, destaca Lopes. 

O designer de games é um profissional multidisciplinar

Isso significa que em sua atuação ele lida com várias áreas como design, programação, animação, marketing, roteirização, entre outras. 

Durante o design de um game, o profissional precisa estar atento a algumas questões na execução do trabalho, como:

Interatividade: o jogo precisa ser divertido para que os usuários não fiquem entediados e desistam de jogar. Sendo assim, o designer de games tem que conhecer o mercado e estar antenado nas tendências que agradam os jogadores.

Equilíbrio: o jogo precisa ser justo. Isso significa que é necessário que exista equilíbrio no sistema de desafios e recompensas da narrativa. 

Protótipo: ter conhecimento básico sobre como testar o jogo e formular hipóteses é importante para aprimorar os mecanismos do game que está sendo desenvolvido. 

Motor de jogos: o designer de games não consegue fugir dos motores gráficos, pois eles são a base do desenvolvimento de um jogo. Atualmente, os mais conhecidos são o Unreal Engine e Unity

Trabalho em equipe: o designer de games não trabalha sozinho. Em um estúdio de criação, por exemplo, há funções determinadas para cada profissional que está executando um projeto. É essencial que todos falem a mesma língua para estabelecerem as decisões claramente.

Quer saber mais sobre o que o mercado de trabalho espera de um designer de games? Então, não deixe de conferir os depoimentos de nossos ex-alunos do curso de Game design, clique aqui

Motores de jogos: qual escolher?

Se você está se perguntando: “qual o melhor motor de jogos?”, a resposta mais sincera é: depende. Há vários fatores que determinam qual o melhor motor de jogo para você.

Os motores de jogos mais conhecidos no mercado, atualmente, são o Unreal Engine 4 e Unity. Ambos possuem inúmeros recursos para desenvolvimento dos projetos. 

Contudo, algumas questões podem te ajudar a identificar qual é o mais indicado para o trabalho que você pretende desenvolver. 

Se o projeto exige uma qualidade alta, o Unreal Engine é a melhor escolha, pois possui elementos visuais de alta fidelidade. O Unity também oferece uma qualidade alta, porém para criar gráficos realistas como no Unreal é mais difícil.

A plataforma de destino do jogo também precisa ser analisada. Para games multiplataforma, o Unity é mais indicado, pois possibilita a criação de projetos mais complexos com capacidade de processamento reduzida. 

Antes de decidir qual motor de jogos você vai trabalhar, uma boa opção é pesquisar as possibilidades e o que te agrada mais.

Em nosso webinar gratuito, Para ser um ótimo Game Designer: aperte o start!, você pode encontrar as respostas para algumas perguntas que está se fazendo. 

Qual o salário de um Designer de Games?

Como já mencionado, a indústria de jogos é um mercado em constante desenvolvimento e expansão. Por essa razão, as possibilidades para quem quer trabalhar com games são atrativas, assim como os salários. 

Conforme dados do Glassdoor, em uma posição júnior, um designer de games pode iniciar recebendo em média R$ 3.335. No nível júnior, o profissional está em início de carreira. Nesse caso, já que ele possui pouca experiência, as certificações de cursos podem garantir melhores oportunidades. 

Em um cargo pleno, o profissional pode iniciar recebendo em média R$ 5.000. A experiência exigida para esse nível é de dois a cinco anos, pois a complexidade dos projetos é maior em relação a um cargo junior. 

Designers de game seniores podem ganhar em média R$ 10.000, mas o salário pode ultrapassar R$12.000 dependendo da região, empresa, portfólio e habilidades do profissional. 

Quer se tornar Designer de Games? Entre em contato e descubra como podemos te auxiliar. 

 

Categorias
Gamedev

Como dominar as vantagens do Unreal Engine?

Se você tem familiaridade com o mundo dos games, provavelmente já se deparou com uma imagem hiper-realista e ficou se perguntando se era uma figura real ou computadorizada. Preciso te contar que é provável que essa imagem tenha sido criada pelo Unreal Engine, uma tecnologia da Epic Games.

 O que é Unreal Engine?

Primeiramente, é preciso entender o que é Unreal Engine. Só assim é possível decifrar como essas imagens hiper-realistas que encantam os usuários são criadas.

Em resumo, Unreal Engine é um motor de jogos desenvolvido pela empresa Epic Games. Esse motor gráfico foi criado em 1998 para a primeira edição do Unreal Tournament, um jogo de tiro em primeira pessoa.

Atualmente, o Unreal alcançou proporções enormes e é usado em desenvolvimento de inúmeros jogos como RPGs, ação, plataforma, corrida, esportes e aventura.

E o que significa um motor gráfico ou motor de jogos? 

A tradução da palavra “engine” já nos dá a resposta, pois esse termo significa motor. O motor de jogo ou motor gráfico é utilizado para o desenvolvimento de jogos.

Para simplificar, o motor gráfico nada mais é do que o esqueleto do jogo. Ele funciona como um pacote de funcionalidades disponíveis para auxiliar no desenvolvimento de um jogo sem a necessidade de elaborar tudo do zero.

Sendo assim, o motor gráfico não é utilizado apenas para garantir a estética visual do jogo, mas também para permitir uma experiência boa para os jogadores.

Dessa forma, inúmeros itens como cenários, efeitos 3D, sons, textura, simulação de física, entre outros são colocados em prática para o bom funcionamento do jogo.

Como programar com Unreal Engine?

Para começar a usar a Unreal Engine, antes de tudo você precisa criar uma conta na Epic Games. Basta acessar a página de registro e inserir suas informações, seguindo as etapas indicadas logo em seguida.

Além disso, você precisará instalar o inicializador da Epic Games, que pode ser baixado diretamente no site. Com o inicializador, você pode gerenciar a versão do jogo em que está trabalhando e todos os arquivos do projeto.

Se você é novo na área e não sabe por onde começar, não se assuste, porque nós podemos te ajudar. Em nosso canal do Youtube, nós temos conteúdos exclusivos e gratuitos para te auxiliar nessa jornada.

Em nosso Webinar: “Introdução ao Unreal Engine: do zero à primeira oportunidade”, o Designer Gráfico Rodrigo Villani compartilha dicas para quem está começando. Confere lá:

Após instalar o inicializador, é que o trabalho realmente começa. A notícia boa é que o Unreal Engine 4 e todas as suas atualizações são gratuitas desde 2015.

Em suma, isso significa que se você está planejando utilizar o Unreal Engine para treinar e para criar ferramentas, você está autorizado a fazer isso de graça.

Para trabalhar com Unreal Engine, você precisará ter conhecimento de algumas coisas, como:

  • Ferramenta Unreal Engine integrada;
  • Animação;
  • Noção sobre física;
  • Interface;
  • Documentação para Design;
  • Assets;
  • Inteligência artificial;
  • Controle de projetos;
  • Efeitos e partículas.

A lista pode parecer extensa e complicada, mas é totalmente possível aprender do zero e se tornar um expert. Em nosso curso online Unreal Engine 4 – do zero ao PRO, você começa do nível iniciante e em 8 meses está dominando o que precisa para se destacar nessa indústria.

Quais as vantagens do Unreal Engine?

Unreal Engine não é o único motor de jogos existente, então você pode estar se perguntando: por que escolher trabalhar com ele e não outro?

Interface do motor Unreal Engine. Robôs lutam em um espaço cheio de obstáculos.
Unreal Engine é um motor de jogos da empresa Epic Games. Arte: Mentorama

Há algumas vantagens em optar por Unreal Engine, deixa eu te contar:

Unreal Engine é gratuito

 

Isso mesmo, desenvolver um projeto no motor gráfico é gratuito. No entanto, a Epic Games precisa lucrar em algum momento, certo?

Tendo isso em vista,  há a cobrança de uma taxa de 5% sobre as vendas do jogo criado com o Unreal Engine. Essa taxa só é cobrada quando o faturamento da criação ultrapassa 3 mil dólares.

 

A aplicação do Unreal Engine está além dos jogos

Unreal Engine no desenvolvimento de um filme?  Uma série de televisão? Um projeto de arquitetura? Na publicidade de carro? Sim, é possível fazer tudo isso apenas utilizando o motor de jogos.

Na interface do Unreal Engine é possível desenvolver diversos projetos diferentes. Esse é um dos principais pontos positivos do motor gráfico.

 

Busca por um emprego na indústria de games simplificada

Por ser um motor tão popular e utilizado por inúmeros estúdios e desenvolvedores de jogos, se torna mais fácil a busca por uma oportunidade. Afinal, dominar a mesma tecnologia utilizada pela empresa que você está tentando uma vaga faz toda a diferença.

Além disso, os estúdios podem colaborar entre si em seus projetos se os desenvolvedores utilizarem o mesmo motor, o que aumenta a conexão entre profissionais da área.

 

Comunidade conectada

Uma das coisas mais legais em trabalhar com Unreal Engine é fazer parte da comunidade de profissionais que trabalham com o motor.

Isso significa que a quantidade de conteúdos sobre questões relacionadas a Unreal Engine é bem vasta, assim como há cursos completos que te guiam desde o início, tornando mais fácil aprender as especificidades da interface.

Sendo assim, você não se sente solitário enquanto aprende os recursos desse motor gráfico, porque você pode fazer parte de grupos online para troca de ideias e dúvidas sobre o motor de jogos.

 

Variedade de ferramentas e editor completo

Ao nos depararmos com os produtos finais desenvolvidos no Unreal Engine pode parecer que a execução é extremamente complexa. 

A plataforma do Unreal é bastante intuitiva e contém vários recursos e ferramentas acessíveis. Dito isto, se você está enfrentando algum problema no seu projeto, certamente a interface do motor terá algum recurso para te ajudar a resolver.

Dessa forma, o seu trabalho não se limita apenas em criar objetos para jogos. Como já mencionado, você pode fazer praticamente tudo dentro do editor, ou seja, desde trabalhos de arquitetura até projetos mais complexos para séries de televisão.

 Qual o salário de um desenvolvedor Unreal Engine?

 A indústria de games cresceu muito nos últimos anos. Apenas em 2020, o mercado mundial de jogos teve um faturamento maior do que as indústrias de streaming e de esportes juntas. Essa área gerou mais de US$ 178 bilhões só em um ano. E neste ano, a tendência é só aumentar.

E não para por aí, de acordo com a pesquisa Data Stories, da Kantar Ibope Media, o Brasil está entre os 20 países que mais consomem jogos online.  

Já deu para perceber que esse é um mercado em alta, não é mesmo? Portanto, as possibilidades para quem quer trabalhar em uma indústria que só cresce são promissoras e os salários também.

Segundo dados do Glassdor, um dos maiores sites de vagas de empregos do mundo, em uma posição júnior, um desenvolvedor Unreal Engine pode começar ganhando em média R$ 3.200.

Esse profissional está em início de carreira. Sendo assim, para conquistar oportunidades mais atrativas possuir certificações de cursos é um grande diferencial.

Já em um cargo pleno, o profissional pode iniciar recebendo em média R$ 4.700. Para atuar nesse nível é exigido entre dois a quatro anos de experiência, já que as demandas são mais complexas. 

Além disso, os valores de salário podem ser bem maiores, já que depende de muitos fatores como o portfólio do desenvolvedor, a região e a empresa.  

Desenvolvedores Unreal Engine seniores ganham em média a partir de R$ 6.500, mas o salário pode passar de R$ 10.000 dependendo de outros fatores.

É importante frisar que é possível trabalhar para empresas do exterior e receber em moeda estrangeira, assim como há possibilidade de trabalhar como freelancer e receber por projetos. 

Quer se tornar Desenvolvedor Unreal Engine? Entre em contato e descubra como podemos te auxiliar.