Mulheres nos games: 5 nomes que você deve conhecer

Mulheres nos games: 5 nomes que você deve conhecer

Mulheres nos games: conheça 5 nomes que são referência na área de jogos para te inspirar a seguir carreira na área. Continue a leitura para saber mais!

Se você é uma apaixonada por games e deseja iniciar carreira em uma das áreas que mais cresce no mundo, saiba que chegou a hora de dar o “play” nos seus projetos e dar vida aos seus próprios games. Continue lendo e acompanhe 5 nomes de mulheres nos games que você deve conhecer!

Mariana Boucault

Com dez anos de experiência na indústria de jogos, Mariana Boucault é graduada em Design de Jogos pela Universidade Anhembi Morumbi e atualmente é diretora de monetização da Ubisoft, um dos maiores publishers de games do mundo. 

Mariana trabalhou na economia e balanceamento dos jogos para celular da Behaviour e participou do desenvolvimento de mais de 15 jogos mobile para iOS, Android, Windows Phone e Amazon Store.

Mariana testou ótimos títulos como Call of Duty, God of War, Blur, Family Feud, Deer Hunter, Paperboy, entre outros. Além disso, ela também trabalhou como Líder de QA para jogos desenvolvidos dentro do estúdio.

Com mais de 20 projetos publicados, Mariana Boucault desenvolveu jogos de PC, móveis, consoles e muito mais. Entre seus projetos mais famosos, estão: Turma do Chico Bento, Leap of Fate, For Honor e Pool Trick Shots.

Luísa Cecília

Graduada em Produção Audiovisual e Pós-graduada em Desenvolvimento de Jogos Digitais pela PUCRS, Luísa Cecília é produtora de jogos e seu maior objetivo é proporcionar a outras pessoas experiências memoráveis ​​por meio de jogos.

Luísa trabalha desde 2019 como produtora no Hermit Crab Game Studio, responsável pela franquia “Football Freestyle” com jogos oficiais para celular de grandes times de futebol como Paris-Saint Germain e Arsenal FC.

Atualmente, ela é gerente de projeto da franquia “Football Freestyle”. Sendo responsável por liderar equipes de lançamento de games para os mercados Premium e Free-to-Play, garantindo a qualidade do produto em tempo e escopo limitados.

Além disso, desde 2020 ela faz parte da equipe brasileira de organização do Women Game Jam, uma maratona de desenvolvimento de games voltada para o público cis/ trans feminino e não binário.

Com inúmeros projetos publicados, Luísa Cecília desenvolveu jogos que foram premiados. Entre seus projetos mais famosos, estão: Chiiip, AstroBunny e Hipnotizado. 

Amora Bettany

Em um mercado dominado por homens, Amora Bettany conquistou seu espaço e tem se tornado uma referência para muitas mulheres que desejam iniciar carreira na área de games.

Ela é uma das fundadoras do estúdio de desenvolvimento de games MiniBoss, um negócio que começou por acaso em parceria com o marido Pedro Medeiros, em 2010, e que hoje é uma dos principais estúdios da cena independente de games.

Com apenas 27 anos, Amora Bettany tem jogos de sucesso para chamar de seus. Seus trabalhos mais conhecidos são: Celeste, Out There Somewhere e o aclamado Towerfall. Além disso, ela é uma figura super inspiradora para as meninas que se aventuram pelos pixels.

Renata Rapyo

Com seis anos de experiência em múltiplas áreas e cargos, Renata Rapyo começou sua trajetória com administração, foi para a publicidade e encontrou-se em design. 

Ela é designer de jogos desde 2018 e desde 2019 é organizadora da versão LATAM da Women Game Jam, o maior evento de produção de jogos do mundo realizado apenas com mulheres.

Atualmente, Renata Rapyo é produtora e designer de games. No momento, atua como profissional de marketing, designer de jogos e sistemas baseado no Brasil, criando jogos gratuitos para celular, entre eles estão: Blob, Jamming Dilemma, Cook Me a Story e Logic Pic.

Ana Ribeiro

Sendo uma das pioneiras no desenvolvimento de jogos de realidade virtual no Brasil, Ana Ribeiro é a desenvolvedora do Pixel Ripped: um jogo de realidade virtual que ganhou destaque pela sua originalidade, inovação tecnológica, qualidade gráfica, diversão e, principalmente, nostalgia.

Formada em psicologia, Ana Ribeiro largou seu emprego de funcionária pública em um negócio de venda de empadas para fazer uma pós-graduação em Design e Desenvolvimento de Jogos na National Film and Television School do Reino Unido. Descoberta pela Eurogamer e pela mídia internacional em 2014, o Drops de Jogos passou a acompanhar a carreira dela e descobriu que ela foi a primeira mulher brasileira a desenvolver um jogo em realidade virtual.

Com o grande sucesso de seu jogo, a última versão de Pixel Ripped 1989 chegou na Brasil Game Show 2017 e conquistou milhares de jogadores que lotaram seu estande. Hoje, Ana Ribeiro é um dos nomes mais renomados quando o assunto é desenvolvimento de jogos de realidade virtual no Brasil e mulheres nos games.

Escrevemos sobre conceitos e notícias do mundo do design, programação, desenvolvimento de jogos, educação, desenvolvimento pessoal, carreira e negócios.
Inscreva-se em nosso blog

Não te mandaremos spam!
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments